Avião com R$ 4,6 milhões em malas de dinheiro foi apreendido após pouso forçado em Alta Floresta Polícia Civil de Alta Floresta (MT)

Piloto foi ouvido e liberado pela Polícia Civil. Avião saiu de SP e iria para o Pará, onde piloto compraria ouro. 

Um avião com R$ 4,6 milhões em malas de dinheiro foi apreendido nesse domingo (30) em um aeroporto no município de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (1º) pela Polícia Civil.
Segundo o delegado Vinícius Nazário, o piloto da aeronave fez um pouso forçado depois de uma pane. O piloto foi ouvido e liberado pela polícia. O dinheiro seria usado para compra de ouro em Itaituba, no Pará.

O piloto é italiano e foi identificado como Francesco Turriziani, de 61 anos. O G1 tenta localizar o advogado dele.
Avião com R$ 4,6 milhões fez pouso forçado e polícia encontrou malas de dinheiro em

O avião, Cesnna 206 T, prefixo PR-RMHano 2005, fez pouso forçado em um aeroporto rural a 5 km de Alta Floresta.

De acordo com a Polícia Civil, apenas o piloto estava na aeronave.
Ele saiu de Sorocaba, em São Paulo, com destino a Itaituba. O avião faria duas paradas de abastecimento, sendo uma em Jataí, em Goiás, onde o piloto percebeu o problema na aeronave.

Mesmo assim ele seguiu a viagem com a próxima parada em Alta Floresta, local em que teve que fazer o pouso forçado. Moradores ligaram para a polícia dizendo que um avião havia ”caído” no aeroporto. Os policiais foram ao local e encontraram o piloto embarcando em um táxi.

No avião a polícia encontrou seis malas contendo uma enorme quantia em dinheiro, totalizando R$ 4.679.750.
Avião prefixo PR-RMH fez pouso em Alta Floresta: polícia encontrou R$ 4,6 milhões na aeronave

O dinheiro foi apreendido e depositado em conta da Justiça de Mato Grosso.
O delegado Vinicius Nazário informou que o piloto foi ouvido e não soube explicar a origem do dinheiro. Depois o piloto informou que o dinheiro é de um ”parceiro de negócios” e se refere à venda de um avião em São Paulo.

Até o momento a versão não foi comprovada e o dinheiro foi mantido apreendido. A origem do dinheiro será investigada em inquérito policial. O piloto foi liberado por não ter ‘provas’ contra ele, conforme informou a Polícia Civil.

Fonte: G1/Pará

Compartilhe isso: