O Governo do Estado iniciou nesta segunda-feira, 08, a manutenção corretiva e preventiva de 105 escolas estaduais em 70 municípios paraenses. São obras emergenciais de diversos espaços físicos e de convivência considerados mais importantes ao bom andamento das aulas. Entre os serviços estão recuperação de banheiros, copas e telhados, além de pintura geral, rede hidráulica e elétrica.

Segundo o governador Helder Barbalho, o trabalho acontecerá neste mês para não prejudicar as aulas e garantir aos alunos o reinício do calendário letivo, em agosto, em um ambiente escolar propício à aprendizagem.

Além de melhorar a estrutura da rede física das escolas, as obras vão gerar 6.300 empregos diretos e indiretos em todas as etapas da reforma.  Belém é o município com maior número de escolas a receber manutenção, com 18 unidades no total, entre elas IEEP, Rosa Gattorno, Anísio Teixeira, Tiradentes I, Temístocles Araújo etc.

Em seguida está Ananindeua, com 8 escolas, além de Castanhal, Vigia e Tucuruí, com 3 escolas, cada. Todas as regiões do Estado estão contempladas com as obras. A secretária de Estado de Educação Leila Freire, explica que a escolha das escolas é resultado de um levantamento da Seduc de escolas com problemas pontuais e emergenciais, cuja estrutura física está prejudicando as aulas por falta de reparos. Todas as obras estão previstas para serem concluídas em 30 dias.

A reforma e a ampliação das escolas da rede são prioridade do Governo do Estado. Somente este ano, 12 escolas já foram entregues nos municípios de Belém, Benevides, Colares, Redenção, Trairão, Bragança e Primavera. A meta é entregar 150 escolas da rede até dezembro de 2019, beneficiando mais de 200 mil alunos. Das 900 escolas estaduais pelo menos 600 precisam de algum reparo. Destas, cerca de 250 estão em estado precário.

Fonte: Leidemar Oliveira – Ascom/Seduc

Compartilhe isso: