Carlos Pereira tinha 58 e era presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rio Maria (STTR) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras (CTB) do Pará.

Um suspeito de envolvimento na morte do sindicalista Carlos Cabral Pereira, morto em junho deste ano, em Rio Maria, sudeste do estado, foi preso pela Polícia Civil, na segunda fase da operação Pratos Limpos. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (5).

O crime ocorreu no dia 11 de junho. A vítima estava em uma moto a caminho de casa quando foi abordada por dois homens que estavam em outra motocicleta, segundo a Polícia. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Municipal de Rio Maria, mas não resistiu aos ferimentos. Carlos Pereira tinha 58 e era presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rio Maria (STTR) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras (CTB) do Pará.

O sindicalista sofria ameaças de morte. Equipes da Delegacia de Rio Maria e da Delegacia de Conflitos Agrários de Redenção iniciaram buscas para tentar prender os responsáveis pelo crime.

A prisão do acusado foi efetuada após três dias, em uma área indígena, lugar de difícil acesso, região conhecida por “Apyterewa”, localizada na zona rural de São Félix do Xingu. A operação foi realizada pela Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (DECA) de Redenção. A autoridade policial representou pela prisão temporária de Elizeu dos Santos Pereira, sendo deferido pelo Juízo Criminal da Comarca de Rio Maria. Durante a operação foi procedida a busca e apreensão do aparelho celular do acusado. A Polícia Civil segue incansável na busca dos responsáveis pelo bárbaro episódio criminoso.

Fonte: G1/Pará

Compartilhe isso: